ESPETÁCULOS

Nena (2017)

Uma mulher atravessa as ruas da cidade garimpando lixeiras. Sua principal fonte de renda. Lixo para muitos, para ela pouca coisa é lixo. “tudo que recicla eu pego.” Recebe olhares, insultos, esquecimentos… seu garimpo cotidiano confunde-se como o de um cão a espreita das sobras. O peso do seu carrinho, não é maior que o peso do seu mundo.

AONDE NASCE O ARCO ÍRIS? (2016)

Maria nasceu boneca de pano, mas não se via como tal, sua forma de boneca não revelava sua identidade de menina. É amiga inseparável de Rafa, uma criança solitária e apaixonada por revistas de moda. Suas familias não entendem porque eles não são como as outras crianças.
Para realizar seus desejos, saem em busca do arco-íris e nessa jornada conhecem Joca, o filho do vento…

JÁ NASCEMOS MORTOS… (2015)

Por meio de depoimentos e notícias de crimes contra homossexuais o espetáculo busca no diálogo entre a dança e o teatro, transformar a cena em um manifesto poético em memória aos corpos silenciados e aqueles que ainda persistem em não se calar.
Os corpos desobedientes assinalam sua sentença. Culpados!

 

NA PELE (2013)

Espetáculo de dança-teatro  que aproxima o público das angústias e conflitos de pessoas que carregam no corpo a marca, a mancha e a desaprovação. Pessoas que vivem sobre constante policiamento sobre como seus corpos devem ser, ou pior, como não devem ser. Trata-se do olhar que marca, impede, assassina e inscreve na pele do outro a dor da diferença.  Como temos olhado para o corpo do outro?

AVEXUS (2013)

“Avexus” é uma investigação poética sobre a existência vigorosa daquele que atravessa e transita entre os limites sociais, que se multiplica e se contradiz. Exú, orixá afro-brasileiro que nos instiga não só pela sua pluralidade de significados, mas também por uma existência que se faz nas margens e nos avessos da vida cotidiana.